projeto social

Por que se tornar um doador de medula

por em amor, projeto social

Hoje aproveitei o domingo de Páscoa e refleti sobre tudo o que essa data representa independente de crenças e de religião. Pensei na renovação de esperanças, na vida, sobre novos significados e mais um monte de pensamentos aleatórios que foram passando pela cabeça. Aproveitei a data para estar perto da família, para comemorar os três aniversários que temos essa semana e o sentimento de gratidão pela vida dos meus irmãos, dos sobrinhos, da minha filha, de toda a família e dos agregados não poderia ser maior.

imagem destacada medula 1

E é justamente nessas horas que lembro de histórias que me tocam, lembro que tem gente no mundo que precisa da nossa ajuda. Lembro de gente que precisa de uma medula nova para sair de um tratamento complicado, onde o amor é o que sustenta e dá forças para seguir em frente. Nessa lembrança sempre me vem à cabeça a história do Pedrinho, o “muso inspirador” da nossa campanha de doação de medula. Ele é filho de uma colega artesã e há mais de 3 anos luta contra a leucemia. Acompanho o Instagram da Fá, mãe do Pê e sempre me pego admirada pela persistência, pela força e também tento me imaginar numa situação como a que ela enfrenta atualmente. Imagino que não é fácil e chego a sentir um tiquinho do que imagino que seja o que ela sente e me alegro sempre ao ver uma foto do Pedrinho sorrindo e comemorando uma melhora ou o fim de alguma etapa do tratamento <3

Captura de Tela 2016-03-27 às 20.14.52
A Fá contou que começou a desconfiar dos sintomas que o Pedro apresentava, mas o pediatra sempre dizia que não era nada. Eram febres recorrentes e sem explicação, manchas roxas no corpo, dores nas articulações  e caroços pelo corpo. Foram 4 médicos e todos diziam que “não era nada”. Só que a Fá não se conformou, procurou um médico fora da cidade e foi aí que veio o diagnóstico que ela mais temia: o câncer de medula. Depois do diagnóstico o Pedrinho iniciou pela primeira vez o tratamento o câncer entrou em remissão por um tempo, mas no ano passado o Pedrinho precisou retomar as sessões de quimioterapia e internações.

Captura de Tela 2016-03-27 às 20.17.03

Pedrinho é uma das muitas pessoas que passa por essa situação no mundo todo. São crianças, jovens, adultos e idosos que precisam de um transplante de medula para terem a chance de se curarem do câncer. Quanto mais doares cadastrados, maior a chance de se encontrar um doador para quem precisa.

Hoje em dia há diferentes tipos transplantes e muitos casos de sucesso a serem compartilhados e é isso que mostrarei para vocês no decorrer dessa próxima semana com depoimentos e histórias de quem já doou e de quem já recebeu a doação.

O por que de se cadastrar como doador de medula é muito simples: é um gesto de amor ao próximo, é um ato que pode renovar as esperanças na vida de alguém e que também ajuda em tempos tão desconexos a reencontrar a fé na humanidade.

amor

A doação de medula é uma decisão muito pessoal, a gente sabe disso e parte de cada um decidir se quer se tornar um doador ou não. A gente respeita quem opta por não se cadastrar como doador, mas sabemos que também há muita desinformação e medo. Estamos fazendo essa campanha esperando que ela sirva como um empurrãozinho para quem se sensibiliza com assunto procurar o Hemocentro mais próximo ou se juntar a nós no dia 02 de abril, no Rio de Janeiro.

Consulte a lista de hemocentros de todo o Brasil: bit.ly.listadehemocentros

No dia 02 de abril, sábado, vamos promover o Encontro DoAmor para que as pessoas se cadastrem como doadoras de medula <3 Que tal incluir seu nome nesse banco de dados do amor?

Vamos nos encontrar às 10h, no Hemorio – Rua Frei Caneca, 8, Centro, Rio de Janeiro. Lá seremos cadastrados como doadores e depois de feito o cadastro, seguiremos para um café especial e um bate papo aconchegante a fim de nos conhecermos melhor, trocar ideias, distribuir pequenos mimos de agradecimento e realizar um sorteio pra lá de especial.

Para melhor nos organizarmos, precisamos montar uma lista de interessados que efetivamente poderão comparecer.  Após a confirmação do comparecimento, enviaremos as informações sobre o encontro :) Para isso, é só preencher o formulário abaixo:

O Hemorio também está precisando de doadores de sangue de todos os tipos! Você pode aproveitar a oportunidade e doar também! Já temos uma lista linda de pessoas que se juntarão a nós no dia 02/04 e nossa meta já foi quase atingida <3 Eba! Tem inclusive gente que já é cadastrada como doadora de medula e vai doar sangue! Vem com a gente também!

Hora de praticar a empatia – Seja um doador de medula

por em amor, Dona das Coisinhas, projeto social

empatia

Nos últimos tempos andei acompanhando diferentes histórias de pessoas que passam por uma luta diária contra o câncer de medula. Algumas histórias me comoveram muito, como a do Pedrinho, filho da Fá (uma colega artesã de mão cheia), que há três anos está em tratamento contra a leucemia.

Sempre ouvi falar muito sobre o transplante de medula, já li bastante a respeito e já convivi com pacientes em tratamento. O transplante é a principal chance de cura para quem tem leucemia, um tipo de câncer que se inicia na medula óssea e causa mutações nas células sanguíneas, fazendo com que as células doentes se multipliquem rapidamente e  substituam as células saudáveis. Esse processo dificulta o correto funcionamento das células do sangue (como a defesa do organismo contra vírus, bactérias e inflamações) e causa sérias complicações na saúde dos pacientes. O tratamento mais comum é feito através da quimioterapia e da radioterapia, com medicações fortes e internações subsequentes. Quando esse tratamento não é suficiente, se torna necessário o transplante.

seja um doadorUma coisa que percebi quando comecei a despertar para o fato de que essas pessoas em tratamento contra a leucemia PRECISAM de doadores, foi que falta MUITA informação. Muita mesmo. As pessoas inclusive desconhecem o fato de que podem voluntariamente se cadastrar como doadoras e que efetuar o cadastro não significa que você passará por uma cirurgia imediatamente.

Vendo isso, chamei a Emília, do Ateliê Fofurices, a Ticiane , da Casa 18, a Amanda Mol e as amigas da …com Lola para conversar sobre um projetinho que há tempos andava esquecido. Sabia que essas meninas teriam a disposição para unir forças e retomar o Amor e Ponto e dar o pontapé inicial em um movimento bacana que no final do post você vai conferir em detalhes. A  querida Amanda Mol ficou responsável por ilustrar o processo de cadastro e doação de medula, para ficar bem fácil de entender e a gente mostra pra você como funciona!

doação de medula 1

Quem PODE doar?

  • Diabéticos podem doar;
  • Pessoas grávidas ou amamentando podem doar;
  • Pessoas que tem pressão alta podem doar;
  • Não há nenhuma restrição quanto a meningite, anemia ou hepatite ‘A’ que a pessoa tenha tido anteriormente;
  • Não há peso mínimo;
  • Pessoas que tem tatuagem podem doar.

 

doação de medula2doação de medula 3 O que é a medula:  é o tecido mole dentro de seus ossos responsáveis por produzir glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.

Medula óssea ≠ medula espinhal: A medula óssea é um tecido líquido que ocupa a cavidade dos ossos.

Já a medula espinhal é formada de tecido nervoso que ocupa o espaço dentro da coluna vertebral e tem como função transmitir os impulsos nervosos, a partir do cérebro, para todo o corpo. A medula espinhal não está relacionada a nenhum procedimento de doação de medula.

doação de medula 4

A doação de medula não pode ser direcionada a um paciente. O cadastro é internacional e dá a oportunidade para que pessoas doentes ao redor do mundo tenham uma chance de se curar.

E agora a melhor notícia de todas <3

No dia 02 de abril, sábado, vamos promover o Encontro DoAmor para que as pessoas se cadastrem como doadoras de medula <3 Que tal incluir seu nome nesse banco de dados do amor?

Vamos nos encontrar às 10h, no Hemorio – Rua Frei Caneca, 8, Centro, Rio de Janeiro. Lá seremos cadastrados como doadores e depois de feito o cadastro, seguiremos para um café especial e um bate papo aconchegante a fim de nos conhecermos melhor, trocar ideias, distribuir pequenos mimos de agradecimento e realizar um sorteio pra lá de especial.

Para melhor nos organizarmos, precisamos montar uma lista de interessados que efetivamente poderão comparecer.  Após a confirmação do comparecimento, enviaremos as informações sobre o encontro :) Para isso, é só preencher o formulário abaixo:

O Hemorio também está precisando de doadores de sangue de todos os tipos! Você pode aproveitar a oportunidade e doar também!

Se você se interessou pelo movimento, mas não está no Rio de Janeiro, vamos conversar? Seria bacana se conseguíssemos voluntários para reunir os grupos em outras cidades!

Fique à vontade para replicar o post e para usar as imagens com os devidos créditos para divulgar a causa <3

O que pensar de uma empresa que trata os clientes e o mundo assim?

por em amor, Inspira Ação, projeto social

Por mais tendencioso que o título desse post possa parecer, hoje quero convidar você a pensar, a refletir um pouco sobre a atitude de uma empresa em especial. Essa pergunta do título é típica de um texto que promete muito mimimi, mas aqui a gente não tá acostumado com isso por aqui e nem nunca estará. Se mesmo nos tempos mais com mais hiatos nesse blog nunca faltou amor, não é hoje que faltará. Amor é a principal matéria prima do meu trabalho e quando encontro trabalhos que também têm essa matéria prima como ingrediente principal e ainda a trabalham de uma forma tão inédita e especial, não há como não se encantar e nem como não compartilhar esse encanto por aqui.

embalagens

Amor desde a primeira vista até o produto final, que não é bem um produto <3

Quem é daqui já viu, já ouviu, já leu muito sobre a …com Lola, pois não me canso de dizer o quanto os trabalho da Tânia e da Emika é incrível! Dia desses (depois de receber uma caixinha pra lá de especial pelos Correios) me peguei pensando em o quanto é lindo, é lúdico e aconchegante que existam pessoas que ainda fazem bonecos de pano. Uma coisa que traz tantas sensações boas, tantas lembranças de infância, de histórias de vó. Uma coisa fofinha, que não tem como não vir carregada de doses generosas de amor.

turminha

Os bonecos da Coleção Sim, Jardim!

sim, jardim bonecos

Al, Dôdu, Joaquim e Lola jardineiros <3

si, jardim mensagens

E as mensagens! Que amor!

cacto

Murri! Pera… não para por aqui!

Não bastasse fazerem os bonecos de pano que já são marca registrada da …com Lola, o mais bacana é que a cada venda realizada na loja virtual da …com Lola, o projeto Brincando com Lola ganha um ajudante. Para cada venda, um boneco é confeccionado e doado em uma ação de arteterapia vivencial realizada voluntariamente pela Tânia e pela Emika junto a escolas, casas de abrigo, creches e comunidades do Rio de Janeiro e tomara que em breve, do Brasil e do mundo inteiro!

tag

Sim, Jardim! É poesia, é amor. Pois como elas mesmas disseram outro dia citando Matisse: “Sempre há flores para aqueles que querem vê-las”. E eu vejo muitas flores nesse modelo único de negócio social, levado a sério com tanta garra, determinação e amor ao próximo e à vida.

poster jardim poster gnome

E quando eu disse que a fofura dos bonecos não acabava por ali, olha quem veio: um cogumelo! Especialmente feito para mim! Gente, como segurar a emoção, os pulinhos de alegria e a felicidade infantil numa hora dessas? Melhor não segurar mesmo! E foi aí que me vi feito boba admirando minha caixinha e imaginando que quando eu fosse dormir, os bonecos iriam brincar. Quem nem aquele sentimento que a gente tem quando criança, sabe? Eu senti isso outro dia, juro!

Lou

Prazer, Lou. O cogumelo da Zizi.

…com Lola nos convida a reviver aquilo que a gente tem de melhor e de mais puro através do aconchego dos bonecos de pano feitos a mão. E nos convida enquanto adultos a nos regenerarmos e a ver que o mundo pode ser melhor. Basta a gente acreditar e fazer por onde.

brinde suculeta

Escrevendo esse post, resolvi convidar você também a pensar sobre seu futuro. Sobre onde quer estar daqui a 5 anos. Quer saber onde as meninas da …com Lola estarão? Tenho certeza que em um lugar lindo, cheio de sonhos realizados e amor. E fica aqui minha pergunta: O que pensar de uma empresa que trata os clientes e o mundo assim?

Amo vocês, Lolinhas <3

Com muito carinho,

Zizi

Das Coisinhas – Projeto Social

por em projeto social
Tudo começou (e só começou mesmo) como uma brincadeira despretensiosa de fazer um Desafio Criativo, encher a Toda Coisinha de produtos feitos a mão e ainda realizar uma vontade antiga: através do trabalho (que aqui é cheio de amor) mobilizar pessoas e fundos para apoiar e desenvolver ações sociais.
Lá se vão quase dois meses desde o início e já era mais que hora de começar a compartilhar o que tem acontecido, não é?
Alguns produtos do Desafio Criativo
Os produtos criados para o Desafio Criativo foram certeiros e sem achar que conseguiria, resolvi duas coisas em uma ação só, pois desde que lancei a Toda Coisinha (há quase um ano atrás) queria que os produtos artesanais fossem o foco da loja. Tudo correu muito bem, consegui cumprir a meta inicial das vendas para começar as oficinas de artesanato que propus fazer e ainda comecei a pegar no tranco um ritmo de produção artesanal que eu gostaria. Sabe que lembrando disso, hoje já me bate até uma saudadezinha de todo dia ter um tempo reservado para fazer uma coisinha que fosse? Mas trinta dias seguidos e tendo isso como obrigação, dão uma canseira danada!

Na foto: Aline (Marketing do A.C. Camargo), Simone (Beaba), eu, Ju Amora e Andreia Loyola

A princípio, as oficinas do projeto seriam destinadas somente a mulheres em situação de vulnerabilidade social, mas no meio do caminho tinha o Beaba, a Simone e um monte de crianças lindas e muito especiais.

Como contei no último post, em meados de setembro estive em São Paulo especialmente para a realizar a Oficina das Coisinhas com crianças em tratamento contra o câncer no Hospital A.C. Camargo. Junto comigo levei minhas coisinhas, minha alegria, meu carinho e mais duas pessoas muito especiais: a Ju Amora e a Andrea Loyola.

A tarde do dia 19 de setembro foi inesquecível. Tantas histórias bonitas, algumas tristes, outras alegres, mas para quais dedicamos todo nosso carinho e atenção durante 4 horas de atividades. Não pudemos tirar fotos com as crianças devido a políticas internas do Hospital, mas nas fotos vocês podem conferir algumas coisinhas que fizemos junto delas e outras coisinhas que doamos.

Ju Amora levou lápis de cor, giz de cera, tintas e plaquinhas para as crianças. As plaquinhas de madeira viraram lindos enfeites para as portas dos quartos da meninada :) Sem contar a bagunça com a tinta, que é sempre hora de diversão garantida pra todo mundo, hora de colocar a criatividade no papel e deixar fluir.

Essa plaquinha eu mesma desenhei para deixar na salinha onde eles fazem as atividades.

A Andrea Loyola doou seu talento em forma de toy arts em crochê, cada um mais lindo e encantador que outro. Os toys viraram  a atração do hospital de tão lindos e fofos!

Os toys da Andrea são tão lindos que dar um aperto neles é irresistível!

Eu também deixei minha marquinha por lá e junto das crianças fizemos bandeirinhas para enfeitar os quartos e trazer mais cor e alegria, principalmente para as crianças que estavam internadas há um tempo. Algumas não puderam ir até a sala onde fizemos a oficina, mas nós confeccionamos bandeirinhas a mais e levamos no quarto de cada uma delas.

A sala de atividades no fim da oficina.

E eu não podia deixar de repetir por aqui esse abraço apertado meu, da Ju e da Deia, coisa mais gostosa e que mostra que se juntar a pessoas de bem, só faz mais bem ainda <3

Já estou mexendo os pauzinhos para as próximas ações do projeto social Das Coisinhas, em breve tem um monte de novidade e ações planejadas para fazer do mundo um lugar mais colorido e cheio de pessoas que sabem do seu valor :)

Muito obrigada a cada um que colaborou com essa ação, apoiando, comprando na lojinha, mandando uma mensagem de carinho. Minha mãe uma vez me disse uma coisa que é muito certa: quando a gente faz o bem para os outros, sem perceber, acabamos fazendo mais bem ainda para nós mesmos. E assim como a criatividade, fazer o bem é como um ciclo que se auto alimenta. Quanto mais você faz/usa, mais você tem para dar e também receber.

Os produtos do Desafio Criativo continuam à venda e o dinheiro continua sendo arrecadado ara as ações sociais, mas logo, logo anunciarei mais uma forma super bacana que pensei de dar continuidade e fluidez ao projeto. Aguardem!