Faça Você Mesmo

Puxa o banquinho de concreto e senta que lá vem história!

O post de hoje é pra reafirmar o quanto gosto desse cantinho e me sinto em casa aqui, como em nenhuma outra rede social. Essa semana vi um entrevista em um programa de TV (que eu não tenho ideia qual era, nem em qual canal, pois a tv estava ligada por acidente) de um cara falando que os blogs são como as ruas da internet e as redes sociais, os condomínios. E isso me traz a lembrança de que sempre fui da rua, de casa, de correr solta e aqui é onde faço isso na minha vida virtual, que é vasta! Falar do meu dia a dia, das minhas coisinhas e das coisas que me cercam é o que traz minha personalidade pra cá e de certa forma, alivia também o peso nos ombros (que aqui escorre pelos dedos e vira pirlimpimpim).

banquinho de concreto pronto

Olha o banquinho aí!

Semana passada foi uma semana daquelas em que tudo poderia acontecer e de repente via vida que andava meio empurrada com a barriga cobrando uma atitude urgente e que só depende de mim. Gente, quem nunca? Quem nunca adiou os planos, quem nunca deixou pra amanhã, quem nunca esqueceu, que nunca procrastinou? O único problema de tudo isso é que como qualquer coisa na vida, o excesso faz mal. E foi assim que eu me vi, como digo hoje, 20 dias atrasada no ano. Isso deixa

Fui deixando que as atividades rotineiras tomassem conta dos dias e todos aqueles planos no papel (uma checklist com mais ou menos 30 itens) sempre encontravam uma desculpa para não serem riscados. Algo que eu sempre me gabei de fazer bem foi esse malabarismo entre conseguir encaixar trabalho, rotina da casa, rotina da filha, a minha rotina e as novas ideias no tempo que cabe em uma semana. Mas desde que voltei das férias do casamento, pequei muito em relação a isso, mas já me perdoei, ok? Para se ter ideia, tinha um projeto que desde maio estava na lista dos afazeres e eu já tinha todo o material em mãos. Mas sempre tinha um telefonema, um email, um medo ou algo mais importante a fazer.

varandinha suculentaEsse projeto é o famoso banquinho de concreto do blog Homemade Modern e comecei a fazê-lo na semana passada, depois de estragar a minha geladeira usando uma faca e um martelo para quebrar o gelo e depois de quase cancelar uma viagem que vinha sendo planejada desde o início do ano. E tudo isso foi culpa daquele “deixa pra depois”.

Tudo começou com a geladeira da época das cavernas que ficou com a porta aberta sem querer e formou uma camada de gelo bizarra. Eu. com preguiça de esperar o degelo, fui lá com a faca pontuda e o martelo e quebrei não só o gelo, mas a geladeira. Furei o canal do gás que faz o resfriamento e o conserto ficaria quase no preço de uma nova (sem contar que eu já não tinha uma relação muito boa com ela). O que eu pude fazer foi lamentar um pouco, pois a gente continua apertado nas contas desde o casamento e me consolar comprando uma geladeira nova, em suaves prestações, maior e o mais importante: frost free (dessas que não forma gelo no congelador). A geladeira já chegou e depois de um perrengue que eu até curti, pois não tive que cozinhar todos os dias, tudo já está de volta ao normal.

Nesse mesmo dia que a geladeira quebrou, eu e o Tiago nos demos conta que iríamos em breve para Belém do Pará ver o Círio de Nazaré, que eu apesar de não ser religiosa, tenho muita vontade de conhecer. E claro, tenho também MUITA vontade de conhecer Belém, a cultura e a culinária paraenses. Só que nas vésperas da festa, nos esquecemos de reservar o hotel e adivinha: tudo muito caro ou tudo muito longe ou mal avaliado. Foi uma sofrência momentânea, mas que também já passou depois de incansáveis horas de pesquisa e muitos emails!

Com tudo isso acontecendo e eu vendo meu trabalho paralisado, resolvi colocar a mão na massa e executar projetos e planos que eu tinha há meses. Aprendi isso com a Rafa Cappai, de que quando você não consegue se concentrar num problema e resolvê-lo ou cumprir as tarefas que tem, pule para o próximo ou vá fazer algo que lhe dê prazer, como cuidar da casa, fazer um projetinho DIY. Depois vejam mais sobre procrastinação estruturada. E aí o banquinho finalmente nasceu! Com um medo danado de que não desse certo, que os pés ficassem desalinhados e bambos. E ele veio perfeitinho, firme e já está enfeitando a varanda!

materiais

Balde grande, pés palito, bastão, luvas, máscara, vaselina, papel, água e cimento

cimentoPara fazer o banquinho, usei mistura para cimento, daquelas que só acrescenta a água. Coloquei no balde de roupa suja (esses de silicone que a gente acha em lojas de departamento) a quantidade que eu achava que ficaria legal para a altura do banquinho e misturei a água. Antes de colocar a mistura, passei um pouco de vaselina com um papel para que soltasse mais fácil. A mistura ficou um pouco mole, daí coloquei mais um pouquinho de cimento, mas é sempre bom ler as instruções do fabricante. Cada um é de um jeito e os preços também variam muito.

cimento 2Usei um pedaço de madeira para misturar, mas como estava de luvas de limpeza para proteger as mãos (cimento resseca pra caramba) e com uma máscara de proteção para não inalar o pó, acabei colocando a mão na massa mesmo. Foi bem mais fácil!

pezinhosCom a massa consistente e sem pelotas, coloquei os pés palitos que ganhei de presente da Ana há um tempão, mas você pode usar 3 bastões de madeira com tamanhos iguais. Deixei os três bem alinhadinhos e confesso que essa foi a parte mais difícil. Depois foi só contar com a sorte e deixar secar por 24 horas. E não é que no fim das contas tudo deu certo?

cimento seco tirando cimento da forma

IMG_7001

De lá pra cá minha semana tem sido muito mais focada e produtiva. Às vezes a vida precisa dar um empurrão pras coisas andarem ;) E a nós só cabe colocar a mão na massa e manter a calma para fazer o que tem que ser feito.

Um convite de casamento feito a mão e com muito carinho

Depois de mostrar o convite dos padrinhos do nosso casamento, acho que já podemos ir adiante com o convite oficial, não é? Ver esse convite pronto (ele ficou pronto antes do convite dos padrinhos) foi o que me fez ter a primeira sensação deliciosa de ver  a tão sonhada festa de casamento tomando forma. Pessoalmente, cuidei de todos os pequenos detalhes do convite (que não foram poucos) com a ajuda de pessoas queridas. Foi lindo, foi trabalhoso, mas com toda certeza produzir cerca de 100 convites foi mais fácil do que fechar a lista de convidados.

abrindo

Há tempos atrás fiz uma escolha e que até hoje vem sendo mantida: escolhi a Amanda Mol para ilustrar minha vida. Já contei muitas vezes por aqui como adoro o trabalho dela e para o convite de casamento não poderia escolher uma arte que não fosse a dela. Então o primeiro passo foi escrever para a Amanda e explicar o que eu havia imaginado. Olha, não sei exatamente como cheguei a cada detalhe, mas busquei inspirações de convites ilustrados no Pinterest. As referências que encontrei por lá foram as bases para a criação e muito do toque especial do convite ficou por conta da Amanda mesmo.

Captura de Tela 2015-07-27 às 20.33.35

E foram algumas tardes de trabalho e diversão no Ateliê Fofurices <3

A primeira ideia era colocar o convite em um envelope e fechar com lacre de cera e cisal, mas quando me veio à cabeça essa ideia de uma moldurinha, joguei a ideia do envelope pros ares. Mas e aí como faria essa moldurinha? Cortaria uma por uma? Onde viria o nome do convidado? E foi numa das idas ao Saara com a Emília, do Ateliê Fofurices que chegamos a uma solução: fazer as molduras usando a Sillouette e usar uma tag bonitinha para colocar o nome dos convidados. Aí que lembrei que havia comprado alguns corações de madeira há meses e ainda não havia achado utilidade para eles. Estavam guardados para essa ocasião mais que especial.

Só eu e a Emília sabemos o trabalho que deu chegar no tamanho e corte certo dessas molduras sem a faca perder o corte, sem a Sillouette ficar maluca hahaha Mas foi divertido passar algumas tardes no ateliê dando boas risadas e fazendo planos. Ainda fizemos os nomes dos convidados cortados na Sillouette, depois colei nas tags usando fita banana da 3m e por isso o contorno ficou tão perfeitinho e em alto relevo.

fazendo

Moldurinhas prontas, nomes cortada e convites impressos com primor, hora de montar tudo.

Eu e o Tiago montamos todos os convites em dois dias que paramos durante a noite para fazer isso. Foi bem rápido, né? Depois foi só babar no resultado, entregar e enviar um monte deles pelos Correios :)

convite de casamento

Ainda colocamos um saquinho plástico protegendo o convite, mas ele ficou basicamente que nem na foto acima :)

convite frente

Aberto ele ficou preso na parte de dentro e depois que a pessoa abria, tinha que tirar da moldura e virar a parte de trás para ver as informações da cerimônia e da festa.

convite aberto

convite verso

Na parte de trás, uma frase que a Tânia, amiga da …com Lola me escreveu no dia do nosso casamento civil. Gostei tanto que virou um dos destaques do convite <3

Depois de enviar os convites, recebemos muitos, muitos elogios! Todo mundo amou a arte da Amanda e os nomezinhos nas tags. Cheio de pequenos detalhes que fizeram a diferença!

convite com original

Depois de tudo ainda ganhei de presente da Amanda a ilustração original do convite <3 é pra morrer de amores e emoldurar com todo carinho!

Alguns detalhes:

Arte do convite: Amanda Mol (ilustradora@amandamol.com.br)

Moldura feita em papel kraft A4, 240g

Cortes de Sillouette: Ateliê Fofurices

Impressão dos convites (13×18,5cm): Áster Graf, em BH (preço ótimo, pontualidade e qualidade)

Tags de coração: comprei no Aliexpress. Não encontrei mais o exato modelo, mas achei essa aqui, bem bonitinha.

Cisal fino: Comprei no Mercado Central em BH, mas no Rio de Janeiro é possível encontrar com facilidade no Saara.

E aí? Se animou a fazer o seu também? Conta pra gente!

Os convites dos padrinhos e das madrinhas

O primeiro passo que demos efetivamente para que as coisas do casamento começassem a tomar forma e ficassem mais palpáveis (visto que eu já estava mega ansiosa no início de abril), foi convidar as pessoas que seriam nossos padrinhos e madrinhas de casamento.

Devo confessar que eu não queria ter que fazer essa escolha, pois todos nossos amigos e a nossa família são importantes para mim e para o Tiago e até pensamos em não termos madrinhas e padrinhos. Mas comecei a ler sobre a escolha dessas pessoinhas importantes e confesso que fui influenciada pelos blogs de noiva que andei lendo, além do que, era mais um pretexto para colocar a mão na massa e algumas ideias em prática.

caixinhas

No fim das contas, escolhemos nossos irmãos (que não são poucos) e dois casais de amigos, daqueles sempre presentes em qualquer ocasião para representar todos os amigos. Juro pra vocês que achava que padrinho era pra dar presente grande, digamos assim kkkk mas vi que vai muito além, são aquelas pessoas com as quais sabemos que podemos contar sempre, em qualquer ocasião que seja. E esse foi nosso critério de escolha, já que ela tinha que ser feita.

Sou apaixonada pela cor azul turquesa e suas variações (azul céu, azul e verde mar do caribe até encostar no verde menta). É minha cartelinha de cores preferidas e que foi bem usada no nosso casamento. O meu sapato era azul e as gravatas dos padrinhos e os vestidos das madrinhas também pedimos que fossem. No convite enviamos os seguintes mimos:

gravata

Para os padrinhos uma caixinha forrada com um musgo chamado de barba do velho e dentro dela uma gravata borboleta azul dentro (comprei no Mercado Livre) e o convite feito em casa colado na tampa. Os pajens também ganharam gravatinhas <3 E ficaram tão lindos!

As caixinhas que usei são caixas para caneca que já tinha aqui em casa e são feitas de um kraft mais fino revestido em branco. Esse modelo e outros podem ser encontrados no Mercado Livre e em lojas para embalagens na sua cidade (aqui no Rio compro no Saara, na R3 Embalagens). O barbante bicolor e as tags são da Toda Coisinha.

caisinha fernandaPara as madrinhas um colar com estrelinhas e as iniciais em um pingente (pois elas são pessoas que brilham muito na minha vida), tudo obra minha na Toda Coisinha e disponível para encomenda personalizada. É só me escrever nesse email: todacoisinha@gmail.com

colar madrinha

colar close

Porque cada um de nós não é se não uma estrela a brilhar no céu do chão

O mesmo presente/convite dei para minha daminha (a irmã mais nova) e para minha porta aliança (a Mari).

Teve também uma caixinha mais que especial enviada para a família da minha irmã mais velha, que participou de forma intensa e muito, muito importante do casamento. Vê só!

caixa familia aberta

A Bel foi a doceira (sim, ela fez todos os doces deliciosos da festa), a celebrante e ainda madrinha. Sem contar que ainda é a mãe dos pajens mais lindos do mundo!

caixas

Sem dúvidas é a família firinfinfin mais especial do mundo <3

Enviar esses convites, de certa forma, acalmou o coração aflito da noiva ansiosa e arrancou muitos sorrisos e lágrimas. Vale a pena fazer um mimo bacana e fugir do convencional.

Como dá para ver, são ideias simples e fáceis de reproduzir até mesmo se o orçamento for apertado. Aí é só usar a imaginação, outros acessórios ou colocar você mesmo a mão na massa. Mas se gostou da ideia dos colares, não deixe de me escrever ;) A gente ajeita desconto e facilita o pagamento para a noivinha e as madrinhas ficarem “Toda Coisinha” <3 E eu dou meu testemunho de que foi assim mesmo que elas ficaram!

Um jeito fácil de fazer pompons + amor

Não é de hoje que sou apaixonada por pompons. Quem já acompanha o blog há um tempo sabe disso e se você fuxicar o histórico de posts verá muitos pompons, até um pompom cogumelo!

Uma vez, pirei na ideia de fazer um tapete de pompons e até comecei a confeccionar os pompons para fazê-lo. Mas fazer os pompons a mão me tomava tanto tempo e desperdiçava tanta linha, que acabei desistindo no meio do caminho. A desistência acabou se devendo também ao fato de imaginar que um tapete com pompons de lã acumularia poeira demais e seria difícil de lavar. E realmente é complicado!

Como já tinha a talagarça (vulgo telinha de fazer artesanato, telinha de vó ou algum nome parecido), um dia veio a linda ideia de fazer um enfeite de parede em forma de coração. Uma amiga me mostrou trabalhos lindíssimos de uma argentina, todos feitos com muitos pompons e nas mais variadas formas e isso acabou me inspirando a fazer esse coração.

coração detalhes

Esses pompons que havia feito para o tapete, acabei usando em outros projetinhos, na decoração e em alguns testes. Esses que usei no enfeite de parede, fiz com o Pompom Maker, o modo mais rápido, econômico e fácil que já utilizei até hoje para fazer pompons. Cá pra nós, apesar de ser simples fazer um pompom, toma um tempo danado! E nosso tempo vale muito (ponto final)

Os materiais usados foram:

materiais 1

Fazedores de Pompom, tesoura pequena e pontuda e lãs

Fazendo pompons com o Pompom Maker

Primeiro você abre um dos lados do pompom maker e enrola a lã nele todinho, até ficar todo preenchido e volumoso (não precisa ser muito volumoso).

Depois você fecha o lado já com a linha enrolada e passa a linha para o outro lado, que já estará aberto e enrola…

Pompom maker 1 como fazer pompom

Com a linha enrolada nos dois lados do pompom maker, você fechará ele bem fechadinho e virá com uma tesoura de ponta fina (nessa hora que você entende porque a tesoura precisa ser de ponta fina) e cortará os dois lados. Após tudo estar cortadinho, corte um pedaço de linha de uns 20cm e passe no meio do pompom maker. Dê um nó apertado, depois outro nó.

E pronto! Aí é só separar as duas partes do pompom maker e tirar seu pompom praticamente pronto.pompom maker 2 como fazer pompom

Corte uma pontinha ou outra que ficar e em menos de 3 minutos você tem um pompom redondinho, fofinho e pronto pra você fazer o que quiser. Deixe a cordinha do meio sobrando, pois ela será usada.

pompom perfeito

Pompom feito no pompom maker

Se você não tem o pompom maker, você pode adquirir o seu na Toda Coisinha. Mas caso isso não esteja nos seus planos, você pode fazer pompom de dedo. Eu, particularmente, acho que desperdiça muita linha e gasta muito tempo (que é o bem mais precioso que a gente tem). Fazer o pompom no dedo ou no pompom maker é tão prazeroso quanto, mas nesse último, a sensação de ganhar tempo é insubstituível!

Fazendo o pompom de dedo:

Você vai enrolar bastante lã em quatro dedos da sua mão, que nem na foto abaixo. Depois, cuidadosamente você retira a lã dos dedos e amarra bem forte no meio. Aí vem a tesourinha, corta dos dois lados, sem deixar nenhuma linha inteira. Ele fica como na última foto.

pompom de dedo como fazer

E é aí que vem a parte chata… você vai aparar e aparar e aparar o pompom até ele ficar bem redondinho. Nisso gastei uns 10 minutos e quase metade da lã que usei. Sem contar o medo de cortar torto hahaha

pompom de dedo pronto desperdício

Agora que você já escolheu a melhor forma de fazer seus 50 pompons, é hora de pegar a talagarça e todas as bolinhas fofinhas e redodninhas.

materiais 2

Pompom por pompom deve ser amarrado na talagarça e é bem simples. É só passar a cordinha que ficou sobrando pela tela e amarrar para não soltar. Vá alternando as cores para ficar bem colorido no final.

tela 1

Quando todos os pompons estiverem colocados e amarrados, é só aparar as sobras de lã na parte de trás e voilá, você já tem um enfeite de parede cheio de amor e de pompons (o que é quase a mesma coisa).

tela 3

Adorei o resultado final :) Ainda vou mudar o coraçãozinho de lugar, mas enquanto isso, Zenóbio (el cacto) foi fazendo as honras da casa ao mais novo morador das paredes.

coração pompom

pompom maker