Coisa de noiva

Os convites dos padrinhos e das madrinhas

O primeiro passo que demos efetivamente para que as coisas do casamento começassem a tomar forma e ficassem mais palpáveis (visto que eu já estava mega ansiosa no início de abril), foi convidar as pessoas que seriam nossos padrinhos e madrinhas de casamento.

Devo confessar que eu não queria ter que fazer essa escolha, pois todos nossos amigos e a nossa família são importantes para mim e para o Tiago e até pensamos em não termos madrinhas e padrinhos. Mas comecei a ler sobre a escolha dessas pessoinhas importantes e confesso que fui influenciada pelos blogs de noiva que andei lendo, além do que, era mais um pretexto para colocar a mão na massa e algumas ideias em prática.

caixinhas

No fim das contas, escolhemos nossos irmãos (que não são poucos) e dois casais de amigos, daqueles sempre presentes em qualquer ocasião para representar todos os amigos. Juro pra vocês que achava que padrinho era pra dar presente grande, digamos assim kkkk mas vi que vai muito além, são aquelas pessoas com as quais sabemos que podemos contar sempre, em qualquer ocasião que seja. E esse foi nosso critério de escolha, já que ela tinha que ser feita.

Sou apaixonada pela cor azul turquesa e suas variações (azul céu, azul e verde mar do caribe até encostar no verde menta). É minha cartelinha de cores preferidas e que foi bem usada no nosso casamento. O meu sapato era azul e as gravatas dos padrinhos e os vestidos das madrinhas também pedimos que fossem. No convite enviamos os seguintes mimos:

gravata

Para os padrinhos uma caixinha forrada com um musgo chamado de barba do velho e dentro dela uma gravata borboleta azul dentro (comprei no Mercado Livre) e o convite feito em casa colado na tampa. Os pajens também ganharam gravatinhas <3 E ficaram tão lindos!

As caixinhas que usei são caixas para caneca que já tinha aqui em casa e são feitas de um kraft mais fino revestido em branco. Esse modelo e outros podem ser encontrados no Mercado Livre e em lojas para embalagens na sua cidade (aqui no Rio compro no Saara, na R3 Embalagens). O barbante bicolor e as tags são da Toda Coisinha.

caisinha fernandaPara as madrinhas um colar com estrelinhas e as iniciais em um pingente (pois elas são pessoas que brilham muito na minha vida), tudo obra minha na Toda Coisinha e disponível para encomenda personalizada. É só me escrever nesse email: todacoisinha@gmail.com

colar madrinha

colar close

Porque cada um de nós não é se não uma estrela a brilhar no céu do chão

O mesmo presente/convite dei para minha daminha (a irmã mais nova) e para minha porta aliança (a Mari).

Teve também uma caixinha mais que especial enviada para a família da minha irmã mais velha, que participou de forma intensa e muito, muito importante do casamento. Vê só!

caixa familia aberta

A Bel foi a doceira (sim, ela fez todos os doces deliciosos da festa), a celebrante e ainda madrinha. Sem contar que ainda é a mãe dos pajens mais lindos do mundo!

caixas

Sem dúvidas é a família firinfinfin mais especial do mundo <3

Enviar esses convites, de certa forma, acalmou o coração aflito da noiva ansiosa e arrancou muitos sorrisos e lágrimas. Vale a pena fazer um mimo bacana e fugir do convencional.

Como dá para ver, são ideias simples e fáceis de reproduzir até mesmo se o orçamento for apertado. Aí é só usar a imaginação, outros acessórios ou colocar você mesmo a mão na massa. Mas se gostou da ideia dos colares, não deixe de me escrever ;) A gente ajeita desconto e facilita o pagamento para a noivinha e as madrinhas ficarem “Toda Coisinha” <3 E eu dou meu testemunho de que foi assim mesmo que elas ficaram!

Casei e voltei!

Ingênua que só, eu achava que faltando menos de um mês para o casamento, conseguiria manter o ritmo aqui no blog e ir compartilhando aos pouquinhos as coisas que ia fazendo. Ingenuidade pura. Porque foi só pensar nisso e o mundo pareceu que ia desabar de tantos afazeres e detalhes para resolver. A gente passa meses e meses com certa tranquilidade planejando uma festa de casamento, mas é só quando falta menos de um mês que as coisas realmente acontecem. Foi isso que senti e foi sensação que me confirmaram todos os casados com quem conversei. E foi aí que chegou a hora em que todos aqueles planos anotados no caderninho (sim, eu tinha um caderninho de planos do casamento) PRECISAVAM tomar forma urgente e a hora era aquela.

foto 3

Nosso altar – o lugar daquelas fotos tradicionais depois da cerimônia

Já contei para vocês que não fui uma noiva tão mão na massa quanto gostaria, mas isso foi por um ótimo motivo: para manter a minha sanidade mental e consequentemente, a do marido. E o que eu não tive de tão mão na massa, meus amigos tiveram. Quanto amor foi poder ver a Bel (minha irmã mais velha) fazendo todos os doces da festa e no dia celebrando a nossa união; a Ana (minha irmã mais nova) toda desajeitada como madrinha de primeira viagem – agora que já passou a bagunça posso achar lindo; a mulherada na cozinha se desesperando para enrolar os quase 300 brownies das lembrancinhas; o Edu se desdobrando para atender minhas exigências e pirações em forma de luminária para enfeitar a mesa de doces; a Amoreca fazendo a plaquinha mais linda do mundo; a Annita enfeitando tudo com sua delicadeza e flores de papel mais maravilhosas que já vi; a Emília e o caderninho de assinatura com papel pirlimpimpim; o Sabiá, meu motorista de última hora mas que não poderia ser melhor arranjado; o Bibi me presenteando com as luzes gambiarra e os sousplats de última hora e por aí foi! Sem contar aquelas mãos amigas que estão sempre a postos para ajudar com o que der vier, como a da mãe e a da Tia Guta. Sem elas nos bastidores, nada teria dado tão certo.

Não teve chá de panela, despedida ou chá de lingerie porque eu quis assim. Aliás, até houve uma tentativa estabanada de chá de lingerie, só que a distância atrapalhou e a falta de tempo também. Mas logo que cheguei de lua de mel encontrei uma uma caixa recheada de maravilhosidades da Evidenza, enviada pelos amigos donos da fábrica. Então ficou mais que certo de era assim que tinha que ser e tirou aquela magoazinha boba que havia ficado, uma besteira diante de tudo isso que tô contando.

Foi uma festa pequena, para 150 convidados, mas com doses de carinho bem grandes em cada detalhe. O nosso objetivo era que além de presenciarem e comemorarem com a gente um momento tão especial, nossa família e nossos amigos se divertissem (e de que quebra dessem vexame – essa foi uma de nossas exigências), assim como os noivos.

foto 2

Uma visão geral da festa <3

E eu nessa história? Fiquei feliz. Feliz é a palavra certa e não precisa de mais nada além disso. Pode parecer simples para definir algo grande em termos de sentimento, mas pra mim é nessa simplicidade que mora a graça e a leveza das coisas. Tenho a certeza de estar vivendo uma das fases mais cheias de felicidade da minha vida e o dia 20 de junho foi o ápice disso.

foto 5

Foto tirada pela mommy dentro do fusquinha mais lindo do mundo, com o buquê mais lindo do mundo. Ainda falarei sobre tudo isso por aqui!

Cada detalhe fez a diferença, cada palavra de carinho, cada abraço, cada gesto foi importante e continuará sendo para o resto de nossas vidas. Não temos como agradecer às pessoas e ao universo da maneira que julgamos que eles mereçam, mas que fique registrada hoje e sempre a nossa gratidão.

lua de mel em los roques

E foi assim que passamos boa parte dos nossos dias de Lua de Mel em Los Roques

P.s.: não vejo a hora de ter em mãos as fotos oficias para mostrar mais por aqui <3

Diário de uma #Bridezilah

Gostaria de que o título desse post fosse Diário de uma Noiva Fofa, mas acho que o trocadilho infame e providencial para o momento define melhor meu estado de espírito e finalmente me dá espaço para aceitar a trollagem alheia com meu nome (já perdi as contas de quantas vezes nessa vida já me chamaram de GodZilah, em alusão ao réptil gigante destruidor de cidades, o Godzilla). Definitivamente “Noiva Fofa” não é o que tenho sido faltando pouco menos de um mês para a festa de casamento, pois o nervosismo e ansiedade têm se refletido no meu dia a dia. Talvez uma noiva preocupada, que pega no pé de todo mundo e um tiquinho nervosa. Mas feliz! Muito feliz!

image

Porém, sei que no dia da festa essa noiva fofa serei eu, a julgar pelo bolo fofo do pedacinho do vestido que posso mostrar pra vocês. Uma noiva fofa e chorona, pois só de pensar que tá chegando já me emociono e já penso no alívio que será ver que tudo deu certo.

ilustração

Ilustração que ganhei de presente da Aída Gabriela <3

No começo do ano me casei no civil, sem festa, sem estardalhaço. Sou daquelas pessoas que nunca havia pensado em festa de casamento, tampouco em se vestir de noiva. Achava isso pura bobagem e breguice (juro, gente) até ouvir aquela pergunta: “Quer casar comigo?”. E parece que foi automático, pois a partir desse momento já comecei a imaginar como seria a festa de casamento, as pessoas que estariam com a gente nesse dia, como seria a nova vida a dois. Isso aconteceu há exatos 4 anos e hoje, numa fase mais feliz do que nunca, comemoro e também me desespero com a chegada de um dia que planejamos tanto, esperamos tanto e batalhamos tanto para que acontecesse.

madrinha

Mimo das madrinhas feito por mim e gravata borboleta para os padrinhos e pajens

convites

Convites feitos em casa <3

Casar é caro pra cacete! A gente planeja gastar x, mas quando se dá conta, a sua definição de um dia perfeito já custa 2x. Fueda! E a gente se desdobra pra pagar, coloca parcela a perder de vista imaginando que tudo vai ser lindo e que momento como esse não existirá. Eu realmente acho que não existirá mesmo uma outra ocasião em que eu possa reunir todas as pessoas que realmente são importantes para a gente para celebrar o amor. Por isso, sem dúvidas vale o esforço.

annita

Contar com o talento de gente linda para preencher a festa de coisinhas é demais!

A partir de hoje pretendo ir compartilhando as coisinhas mais importantes, tanto aqui quanto no Instagram. Já tenho mostrado pequenas coisas que fiz e estou fazendo, mas quero criar mesmo uma espécie de diário cheio de dicas para futuras e atuais noivinhas. E sim! Vai ter muita mão na massa, mas com ressalvas. Quero falar muito sobre esse assunto ainda e claro, dividir o melhor dessa experiência única e que agora é mais real ainda.

Espero que gostem!

No dia do Casamento Civil

O dia do nosso casamento civil foi daqueles de entrar pra história, não só pela relativa importância da data que marcou o início de uma vida a dois (três na verdade), mas também pelos risos, pela descontração e pela companhia sempre agradável dos amigos e da família. Optamos pelo casamento civil devido a alguns aspectos legais da união de duas pessoas que julgamos relevantes, mas pensamos que acima de tudo e mais importante que qualquer convenção social, é o amor e o respeito que fazem com que tenhamos vontade de viver juntos. Mas sabe aquele velho ditado do “tá na chuva é pra se molhar”? Aderi e não me arrependi.

zizi e tiago

<3

Como sabia que registros e lembranças desse dia não poderiam faltar, pensei logo em um vestidinho bacana pra sair bem nas fotos. Poucos dias antes, busquei referências na internet e cheguei num modelito final que foi costurado como presente e com o maior carinho pela Maria, minha vizinha que sempre quebra os maiores galhos e de uma forma ou de outra se faz presente em momentos importantes (foi ela quem costurou as asas de fada que usei no Carnaval em que conheci o Tiago).

Não dispensei também uma produçãozinha, até porque queria experimentar ao menos uma vez na vida como é ser maquiada por um profissional e mais uma vez não me arrependi ao confiar meu adorável rostinho (hahaha) ao Felipe Machado, do Maison Marie.

zilah 1

Ficou tudo simples e do jeito que gosto :)

 

zilah 3

O vestido de frente

zilah 2

e de costas.

Escolhi a sandália azul da Lady Millie Shoes para dar um contraste com o vestido, não consigo imaginar um look todinho branco, sempre preciso de algo para dar uma quebrada. E já que azul é minha cor preferida e a sandália super confortável, não teve escolha melhor!

sandália

O lago em forma de coração

vestido

Pompons na barra do vestido <3

Para fechar com chave de ouro, não poderia faltar um Bem Boladinho. E a Bel tratou de fazer o bolo mais lindo e delicioso dessa vida, que acabou em questão de minutos.

o bolo

Em vez de deixar que esse fosse apenas um simples acontecimento civil, os pequenos detalhes como o carinho de cada um, as piadas na hora de assinar os papéis, a falta de paciência do “juiz de paz”, os brindes de Coca Cola, as fotos da Shantal, da Ana e da Maysa, os doces da Bebel, a presença dos amigos queridos e da família, o vestido da Maria, o pôr do sol espetacular, as montanhas, o lindo lago do amor, tudo isso transformou esse dia em algo muito maior e importante para nós. E mais uma vez ficou provado que não é preciso muito (em termos materiais) para ter um momento feliz e memorável. O amor já é tudo.