Resoluções de Ano Novo | #2: Estabelecer e otimizar o tempo livre

Uma das maiores dificuldades que encontrei desde que comecei a trabalhar por conta própria foi conseguir tirar férias que não fossem pequenos recessos, na grande maioria das vezes emendadas com feriados. Isso de forma alguma é uma reclamação, pois sempre aproveito esses espaços de tempo para conhecer novos lugares ou mesmo para colocar minhas séries favoritas em dias, encontrar os amigos e curtir uma preguicinha em família. Se tem coisa com a qual tenho me disciplinado nesses últimos tempos é de determinar horários de trabalho e horários de lazer. Fins de semana para mim são sagrados e eu gostaria muito de conseguir criar esse hábito também para as férias de descanso e lazer, equilibrando bem as duas coisas e também para as horas vagas durante a semana.

IMG_8524

Muita mão na massa (na lixa, na tinta) desde então

Em janeiro compartilhei por aqui minha primeira resolução de ano novo, que era organizar meu espaço de trabalho. Pois bem! Isso está acontecendo e o processo está rolando a todo vapor. Compartilhar os planos aqui no blog foi ótimo, me deu um gás a mais e logo, logo teremos post sobre o tão sonhado ateliêzinho. Mas no meio disso teve uma pausa para uma férias de 20 dias não estava nos meus planos por agora. Foi praticamente uma férias forçada, mas que eu curti muito. O marido já estava com as férias marcadas e não sabíamos o que fazer, falávamos em viagem para a Bahia mas não resolvíamos nada e eu mantinha a esperança de poder ficar em casa trabalhando. Resolvemos no dia 20 de janeiro pegar o carro e partir rumo à Bahia. Assim mesmo, sem muito planejamento, só reservando os primeiros hotéis e ao longo do caminho decidindo os próximos destinos.

Quem empreende sabe bem que para pagar as contas no fim do mês a gente precisa ralar muito e o mês todo, ainda mais quando se tem uma filha adolescente cursando o Ensino Médio e você é responsável por todas as despesas. Essa é a nossa realidade, que tem sido um pouco dura às vezes e mesmo com todo apoio e ajuda do meu marido, as consequências da minha filha ter um pai ausente e que ela sabe que existe são complicadas, doem e se manifestam de muitas formas diferentes.

Desde que me mudei para o Rio tenho compartilhado alguns detalhes da vida aqui e da rotina. Já falei sobre a alimentação (o que inclui mias um monte de coisas) e vez ou outra falo do tempo livre. Pois bem, no ano passado, apesar de ter feito mudanças radicais na alimentação, não cozinhei tanto quanto gostaria. E cozinha para mim é essencial: é uma forma de cuidar da casa, do corpo e da alma. De encher o prato de carinho e de cuidado diário. Esse ano quero organizar melhor as refeições, o que será bastante exigido já que prepararei marmitas para minha adolescente que terá aulas em período integral alguns dias da semana. Vejo isso como uma forma de planejar melhor esse tempo que gosto tanto de usar na cozinha.

Além disso, quero continuar mantendo a rotina com o horário de trabalho, de quase nunca extrapolar o horário de 8h da noite. Assim sempre temos tempo para uma janta gostosa, para assistir uma série ou um filme em família. Já considero um grande avanço o fato de conseguir aproveitar bem os fins de semana e feriados sem trabalhar e isso também quero manter, mas ainda dou aquela bisbilhotadinha básica nos emails e sempre acabo conferindo as redes sociais. Quem nunca?

IMG_8670

Minha bancada de ourivesaria no meio da arrumação

Outra hora que manterei com afinco é ter um dia da semana dedicado a novos aprendizados, que aqui é sempre a quarta feira. Desde o ano passado tenho feito um curso de ourivesaria e quero ainda acrescentar uma programação especial para as manhãs de quarta. Normalmente é o dia em que respondo mensagens pessoais, leio os sites que gosto e fuxico o Pinterest à vontade.

As novidades da rotina ficarão por conta de mais atividades acompanhada da filhota, sinto que nossa relação tem precisado disso e vamos melhorar esse ano e para sempre. Vai ter lazer, mas vai ter também cobrança e disciplina. Ela também está aprendendo a andar de bicicleta, pois assim como eu, não sabia e em breve planejaremos nossas voltinhas na praia no fim de tarde sempre a pé ou de bike.

Lendo o post parece que eu quase não trabalho rsrs porém trabalho e muito! Se tem uma palavra para descrever isso, essa palavra é: PRIORIDADES. A gente trabalha para viver e não o contrário, quero fazer disso uma verdade muito verdadeira e cheia de amor. Segundas e terça feiras são sempre dias bem intensos, já na quarta rola aquele alívio e quinta e sexta são dias de produzir, de criar conteúdo e novas ideias. Mas isso já pode ser assunto para um outro post, não é?

IMG_9554

Olha só como está ficando <3 Em breve mostro tudinho!

Se você tiver dicas e sugestões, estou super aberta a ouvir e conversar a respeito :)

Deixe seu comentário

comentários via Facebook

6 comentários

  1. Carol Justo

    Meu sonho é trabalhar em casa, ter algo meu, trabalhar por conta própria. Eu sei que amaria essa loucura do dia a dia de um empresário, de correr pra lá e pra cá e não ter horário para nada e no final acabar trabalhando o dia inteiro. Eu super estou pensando nisso, de achar uma maneira de fazer isso se tornar real.
    Desde pequena sonhei com isso, eu sempre quis ser livre. Queria ser cantora e fazer várias turnês, escolher repertório, dançar, cantar, mas ai eu descobri que não canto bem então pensei em ser professora de dança, ter meu próprio estúdio, criar coreografias, depois pensei em ser escritora, que eu sempre quis ser mas nunca soube como, e sempre caminhei para coisas que me dessem liberdade. Hoje quero tentar o ramo de fotografia, to esperando meu namorado se formar em RP para tentar ser cerimonialista, seria maravilhoso!
    Mas enfim, desabafei haushu

    Eu espero que consiga conciliar sua vida profissional e pessoal, com foco e dedicação você consegue. Boa sorte nos negócios e muita felicidade para você e família <3

    Carol | http://www.pinkisnotrose.com/

    Responder
    1. Zilah

      Oi, Carol! Que desabafo delicioso! É sempre bom falar dos sonhos! Acho que cada dia sonho em ser uma coisa diferente rsrs Quero ser joalheira, miniaturista, escultora, ceramista, bordadeira rsrs e vivo tentando conciliar esses sonhos com meu trabalho. Acho que depois que a gente tem esse impulso inicial de mudança, as coisas fluem, até porque a obrigação de ter sempre contas a pagar não deixa a gente se acomodar.
      Também te desejo sucesso e desejo que consiga também realizar seus sonhos! Quem sabe todos eles?

      Beijos!

      Responder
  2. Luciana

    Gostei do post! Eu também cresci com um pai ausente e vi como minha mãe se esforçou pra me criar sozinha. Não é fácil, até hoje não sei lidar bem com isso rs, mas sinto isso me fez ficar muito mais próxima dela.

    Decidi também que vou usar seu post como um motivador pra colocar meus planos de rotina em ação também! Tenho enrolado até agora mas essa organização faz muito bem mesmo! Obrigada, rsrs.

    Responder
    1. Zilah

      Que bom ler isso, querida! Espero que te dê motivação e te ajude a construir uma rotina saudável :)

      BEijinhos!

      Responder
  3. Luciana

    Ah, eu tenho uma idéia pra posts também! Sinto um pouco de falta dos posts pessais e em família, como foram pra vocês, as diviculdades que enfrentaram, porque no caso do meu pai a minha guarda ficava com a minha vó. Queria saber como sua filha vê isso e como ela demonsrtra isso.

    Isso vindo de uma família que passou por várias dessas coisas e que ainda tem que suar pra colocar o pão na mesa de todo mundo aqui.

    Nossas idades são bem parecidas 16 e 17 então acho que vai ser uma leitura que vai ajudar a lidar com essa perda de uma forma saufável.

    Será que é possíve? Eu acharia o máximo!

    Responder
    1. Zilah

      Ô, Luciana! Que legal a sua sugestão, mas eu tenho um pouco de receio de fazer esse tipo de post por expor uma situação muito pessoal e também outras pessoas.
      Eu já falei sobre isso algumas vezes, no período em que tinha a ajuda da minha mãe. Sempre falo que foi a maior mão na roda da minha vida. Sem ela eu não teria estudado, as coisas não teriam sido como foram. Sei que muita gente não conta com todo apoio que tive da família, o que ajudou a superar muitas ausências e dificuldades.
      No que eu puder ajudar, podemos conversar. `
      Beijos<3

      Responder